Entries by Comissão Organizadora

Carlos Matos abdica da possibilidade de triunfar para salvar cão

Piloto de S. Pedro do Sul aclamado herói após livrar da morte quase certa um canino perdido na estrada, arruinando a possibilidade de ser o mais rápido no Constálica Rallye Vouzela, tornando-se viral nas redes socais

Carlos Matos “escreveu” uma história verdadeiramente assombrosa já na parte descendente da quarta edição do Constálica Rallye Vouzela. Tudo aconteceu na segunda passagem por Madremax/Penoita – penúltima prova especial e a mais longa da competição (8,75 km) –, quando um cão surgiu repentinamente a vaguear em pleno troço, precisamente na altura em que o piloto de S. Pedro do Sul, navegado por Bino Santos, desferia um “ataque” cerrado com o Ford Fiesta R5 para superar Vítor Pascoal e Pedro Alves (Porsche 997 GT3).

Com os dois pilotos a partirem para esta especial exactamente com o mesmo tempo, um pequeno deslize poderia deitar tudo a perder, pelo que a concentração foi a táctica estabelecida para evitar equívocos que colocasse a pretensão em perigo.

Carlos Matos, que venceu as três primeiras edições da prova do Gondomar Automóvel Sport, promovida pela Promolafões, revelou-se implacável na hora de tomar uma decisão que lhe custou o hipotético “tetra” mas que, nas bocas do mundo e nas redes sociais em particular, o piloto de S. Pedro do Sul passou, num ápice, a ser o “herói” do Constálica Rallye Vouzela.

Com o pequeno cão posicionado no centro da via de comunicação e Carlos Matos a surgir em alta velocidade com o intuito de reclamar o tempo mais rápido na tomada de tempos, a história ganhou imediatamente contornos verdadeiramente excepcionais.

Fruto de um gesto de heroísmo e generosidade, o piloto de S. Pedro do Sul optou por travar abruptamente o Ford Fiesta R5, perder muito tempo com um pião. Com os índices de confiança e concentração em baixo, o regressar ao asfalto também foi doloroso, com a perda de mais uns segundos preciosos.

Acto de um verdadeiro campeão

Uma decisão que “arruinou” a legítima vontade de alcançar o “tetra” para salvar um cão completamente perdido no meio da estrada. Uma história sensacional. Carlos Matos fez valer os seus princípios, relegando para planos secundários a competição. Salvar a vida de um animal, abdicando do resultado que o conduzisse à vitória, é sem dúvida um acto de um verdadeiro campeão.

“Há pequenas coisas que são maiores que tudo. Uma atitude nobre vale muito e define o carácter de um verdadeiro campeão”, escreveu Valter Vicente, na sua página de Facebook, quando soube desta história que se tornou viral nas redes sociais. A atitude «ganha ainda mais significado quando se está a discutir a vitória”, escreveu, por seu turno, David Silva, juntando-se a centenas de mensagens pelo acto heróico de Carlos Matos, após livrar da morte quase certa do cão que circulava em plena especial, colocando em risco a competição.

Confrontado com a onda de solidariedade, o piloto de S. Pedro do Sul asseverou que quando partiu para a especial «estava rigorosamente empatado com o Vítor Pascoal e só pensava em ganhar o rali, sabendo de antemão que o Ford Fiesta R5 estava mais adequado para superar o piso sujo». «Entrei com o espírito de ganhar sem descurar a diversão e, face aos índices de confiança elevados, a possibilidade de desempatar a nosso favor madurecia no pensamento», avançou Carlos Matos.

No entanto, esse pensamento foi imediatamente “embargado” quando, numa curva, bastante suja, «apareceu o cão e, ao tomar a decisão correcta de desviar o Ford Fiesta R5 da trajectória para não matar o animal, disse ao Bino Santos, o meu navegador, que o rali estava irremediavelmente perdido e, a partir deste contratempo, levantei o pé e impus um andamento moderado para não correr riscos desnecessários», confidenciou.

«O cão não era muito grande, mas nesta vida não vale tudo. Quem me conhece sabe que tenho uma enorme admiração por animais. Tenho em minha casa cinco cães, havendo um que, à noite, não se deita enquanto não chegar. Caso o episódio se repetisse hoje, faria exactamente a mesma coisa», sustentou o piloto.

José Correia, patrocinadores e RMC estão de parabéns

Relativamente à chuva de palavras de gratidão que têm “alagado” as redes sociais, Carlos Matos foi peremptório na resposta: «Obviamente que fico muito satisfeito, porque as pessoas adoram cada vez mais os animais e ficaram muito radiantes pela postura evidenciada».

O carácter das pessoas define-se por estas atitudes. Carlos Matos revelou ainda que está «sensibilizado pelas mensagens e telefonemas recebidos, dando conta do que fiz e, naturalmente, que me deixa muito feliz».

Carlos Matos afiançou que está «orgulhoso do meu filho (João Marcelino), que estava a fazer uma prova bastante boa, mostrando excelentes capacidades ao volante». «Não posso deixar de felicitar a meu navegador Bino Santos pela compreensão com a atitude tomada, mas também dar um abraço a Valter Cardoso, o navegador do meu filho, pelo trabalho desenvolvido, transmitindo-lhes as normas adequadas para evoluir, bem como felicitar o Luís Martins e Rui Raimundo pela prova que fizeram».

O piloto de S. Pedro do Sul, aproveitando a oportunidade para agradecer a todos os patrocinadores e RMC, preparador espanhol de viaturas de competição com um forte contingente de equipas Carlos Matos Team no Constálica Rallye Vouzela, deixou uma palavra de apreço à organização da prova.

«É com muito orgulho que constato que a organização do Constálica Rallye Vouzela está cada vez melhor e, ano após ano, os aperfeiçoamentos não passam despercebidos, com particular ênfase para a componente da promoção, mostrando como se faz a festa dos ralis, sendo um modelo a seguir por outras estruturas organizativas. Não posso deixar de dar um forte abraço de regozijo ao José Correia pelo trabalho exemplar que tem desenvolvido desde a primeira hora, bem como para a Promolafões e Gondomar Automóvel Sport. O Constálica Rallye Vouzela é uma prova de excelência e já com alguns pergaminhos, que enche de orgulho a comunidade de Vouzela e de Lafões», disse, em jeito de rodapé, o piloto de S. Pedro do Sul, Carlos Matos.

Eduardo Veiga: o napoleão do asfalto que “conquistou” Vouzela e o Constálica Rallye

Piloto de Águeda logrou o triunfo na prova do Gondomar Automóvel Sport pontuável para o Regional de Ralis do Centro, com José Gomes a assinar cinco das seis provas em agenda, embora relegado para fora dos lugares cimeiros na sequência de uma penalização. Vítor Pascoal foi extraordinário no capítulo da rapidez…

O piloto Eduardo Veiga exibiu os seus dotes de condução aos comandos do seu Ford Escort MK2, ao vencer o Constálica Rallye Vouzela, prova pontuável para o Campeonato Regional de Ralis do Centro – Jorge Amorim e Troféu CIN, com o tempo de 24m29,7. Uma vitória que “apanhou” tudo e todos de surpresa, já que o aguedense não figurava no lote de principais favoritos mas que, de certa forma, retirou os devidos dividendos de alguns problemas alheios.

De facto, o início da prova foi atribulada para José Gomes. Na super-especial de sábado à noite, o piloto viseense, navegado por Pedro Vaz, mas que no ano passado colheu os melhores frutos na companhia de Nuno Ribeiro ao lograr o triunfo, viu-se desta vez afastado de repetir a dose na sequência de uma penalização de 3 minutos, caindo vertiginosamente na classificação.

Com mais cinco provas especiais pela frente, José Gomes respondeu cabalmente ao infortúnio e, a partir do troço inaugural do segundo dia, na circunstância a primeira passagem por Constálica/Senhora do Castelo, na distância de 5.89 km, foi só somar triunfos até final da prova. Face ao plantel de luxo que marcou presença em Vouzela e com várias viaturas de qualidade, José Gomes acabou por ficar totalmente impedido de lutar pela vitória, mas para a história ficou uma condução imaculada ao volante de um Citroën Saxo Kit Car. O viseense foi o mais rápido durante toda a competição, venceu cinco das seis especiais que faziam parte do “cardápio” da prova e encerrou a sua participação no 10.º lugar, a 2m06,6s para o vencedor.

Indiferente a todo este distante cenário, permanecia Eduardo Veiga que faz equipas com Justino Reis. Como os triunfos nas especiais não usufruía reflexo na classificação geral, o piloto aguedense só teve de olhar em frente, limitar-se a evidenciar classe e mestria na condução em asfalto e defender com galhardia os ataques de Tiago Reis que, navegado por João Aguiar, nunca deixou de imprimir um andamento uniforme com o Vokswagen Golf, cotando-se o segundo mais rápido a 10,4 segundos de diferença.

Rui Ferreira, em Seat Ibiza TDI, ainda passou pela liderança após o final da primeira especial do segundo dia, mas a sua pretensão por um “lugar ao sol” caiu por terra ao sair de estrada logo a seguir, protagonizando um acidente aparatoso. Com este final inglório para o piloto de S. Pedro do Sul, navegado por Luís Pinto, coube a Vítor Ribeiro e Vítor Silva, em Mitsubishi Lancer Evo IX, apreciarem as classificativas no topo da classificação até à penúltima especial da prova, acabando por abandonar já na recta final e com a linha de chegada à vista.

Depois de uma luta perseverante e muito perto das duplas da frente, o viseense Hugo Lopes, navegado por Nuno Mota Ribeiro, terminou a prova do Gondomar Automóvel Sport na terceira posição, a 24,6 segundos do vencedor, explicando como se anda célere num Citroën Saxo Kit Car.

Cláudio Ornelas e Miguel Duarte, em Mitsubishi Lancer Evo VIII, taxaram a sua participação no Constálica Rallye Vouzela na quarta posição, seguidos de Nelson Trindade e Raquel Graça, em Mitsubishi Lancer Evo IX, a 56s e 1m11,3s do vencedor, respectivamente.

Vítor Pascoal passou em Vouzela a alta velocidade

Refira-se, por outro lado, que do naipe de pilotos inscritos na prova do Campeonato Regional de Ralis do Centro, a dupla formada por Vítor Pascoal e Pedro Alves, em Porsche 997 GT3, assinou o tempo mais rápido (22m15,9), com Carlos Matos e Bino Santos, aos comandos de um Ford Fiesta R5, a reclamar 22m45,2s.

Os dois pilotos foram, de facto, os protagonistas de um capítulo verdadeiramente apaixonante. Carlos Matos iniciou a defesa dos tempos mais rápidos ao seu melhor estilo, logrando esse desiderato na super-especial nocturna de sábado, prosseguindo com a mesma veia atacante no domingo de manhã, ao superar Constálica/Senhora do Castelo, registando 7,4 segundos de vantagem.

Vítor Pascoal respondeu logo a seguir, ao ser o mais rápido na primeira passagem pela especial Plafesa/Penoita, com a vantagem de 7,4 segundos, deixando os dois protagonistas desta história com final incerto e a necessitar de uma aposta “tripla”. A três provas especiais do termo da prova, a quarta especial – segunda passagem por Constálica/Senhora do Castelo – era aguardada com enorme expectativa, mas foi Carlos Matos que voltou a soltar os “cavalos” do Ford Fiesta R5 para “cavalgar” para a liderança, presa por 0,4 segundos.

Estava ao rubro esta luta de interesses, em que ninguém queria abdicar da celeridade. A segunda passagem por Plafesa/Penoita, contudo, embargou abruptamente a história. Depois de um prefácio vertiginoso, que avançou velozmente por quilómetros de páginas de suster a respiração, o “poema” não passou do quinto capítulo. Um cão atravessou-se à frente da viatura alugada à espanhola RMC Motorsport, não deixando outra alternativa a Carlos Matos que, sobressaltado com o aparecimento inopinado do canino, travou a fundo e, com isso, não evitou súbitos contratempos e alguns piões à mistura, entregando de bandeja o “conflito de interesses” a Vítor Pascoal, permitindo ao piloto do Baião economizar 27,6 segundos e encarar a derradeira especial sem pressão e auferir mais 2,10 segundos, totalizando 29,3 segundos à melhor… O piloto de S. Pedro do Sul viu-se assim destituído da lista dos mais rápidos, depois de exibir, juntamente com o seu navegador, a “coroa” nos últimos três anos.

O aguedense Miguel Abrantes, que faz equipa Marco Saraiva, foi um espectador atento da luta titânica de Vítor Pascoal e Carlos Matos, acabando por ser o terceiro mais rápido no Skoda Fabia S2000, a 1m21,6 do piloto nortenho de Baião. Por seu turno, Edgar Reis e Jorge Lopes, em Porsche 997, cerraram fileiras na participação da prova do Gondomar Automóvel Sport na quarta posição, a 2m14s do piloto do Porsche 997 GT3, com Nuno Boavida e Antónia Peniche, em Renault Megane, a fechar o “top five”, a 4m29,8s do mais rápido.

Eduardo Veiga “puxou dos galões” para vencer Constálica Rallye Vouzela

O piloto Eduardo Veiga, exibiu os seus dotes de excelência aos comandos do seu Ford Escort MK2, ao vencer a quarta edição do Constálica Rallye Vouzela, prova pontuável para o Campeonato Regional de Ralis do Centro – Jorge Amorim e Troféu CIN, com o tempo de 24m29,7.

O aguedense, que faz equipa com Justino Reis, voltou a evidenciar classe e mestria na condução em asfalto, defendendo com galhardia os ataques de Tiago Reis que, navegado por João Aguiar, nunca deixou de imprimir um andamento uniforme com o Vokswagen Golf, cotando-se o segundo mais rápido a 10,4 segundos de diferença.

Depois de uma luta perseverante e muito perto das duplas da frente, o viseense Hugo Lopes, navegado por Nuno Mota Ribeiro, terminou a prova do Gondomar Automóvel Sport na terceira posição, a 24,6 segundos do vencedor, explicando como se anda célere num Citroën Saxo Kit Car.

Cláudio Ornelas e Miguel Duarte, em Mitsubishi Lancer Evo VIII, taxaram a sua participação no Constálica Rallye Vouzela na quarta posição, seguidos de Nelson Trindade e Raquel Graça, em Mitsubishi Lancer Evo IX, a 56s e 1m11,3s do vencedor, respectivamente.

Refira-se, por outro lado, que do naipe de pilotos integrados nesta prova do Campeonato Regional de Ralis do Centro, a dupla formada por Vítor Pascoal e Pedro Alves, em Porsche 997 GT3, assinou o tempo mais rápido (22m15,9), com Carlos Matos e Bino Santos, ao comandos de um Ford Fiesta R5, a reclamar 22m45,2s. O piloto de S. Pedro do Sul viu-se assim destituído da lista dos mais rápidos, depois de exibir, juntamente com o seu navegador, a “coroa” nos últimos três anos. O aguedense Miguel Abrantes, que faz equipa Marco Saraiva, foi o terceiro mais rápido no Skoda Fabia S2000, a 1m21,6 do piloto nortenho de Baião.

“Agentes secretas” que não deixam de dar nas vistas

A festa dos ralis volta a divulgar o coração de Lafões e do Centro. Este fim-de-semana todos os caminhos têm um sinal privilegiado a indicar Vouzela, local de eleição que comunga da festividade sobre rodas e não só, em que não falta animação variada e muito peculiar. Trata-se do Constálica Rallye Vouzela, competição promovida pela Promolafões e organizada pelo Gondomar Automóvel Sport, pontuável para o Campeonato Regional de Ralis do Centro – Jorge Amorim e Troféu CIN.

E para dar a conhecer a prova bem no centro do santuário congénito com muitos locais de grande interesse, proporcionado ao visitante constantes descobertas e achados naturais, a Promolafões colocou no terreno quatro “agentes secretas”, que mais parecem umas pérolas acabadinhas de sair do interior da ostra, que disponibilizam o glamour como fonte de conveniência, no sentido de conduzir mais gente às bermas da estrada.

As “agentes secretas”, sempre disponíveis para as missões que lhes são confiadas e que têm a particularidade de distribuir um sorriso contagiante a quem quer que seja onde quer que estejam, oferecem, não só informações úteis sobre o Constálica Rallye Vouzela, como também proporcionam aos visitantes uma viagem única ao universo do património natural da região de Lafões.

O Constálica Rallye Vouzela, já na sua quarta edição de existência, é sem dúvida um veículo distinto para beneficiar o visitante a entranhar-se na vertente norte do Caramulo, que integra os relevos graníticos do alto da serra entre a bacia do Mondego e Vouga.

Vouzela é, ao mesmo tempo, uma pérola interessantíssima para se poder viver, em termos de qualidade de vida, bonito, arranjada, com preocupações de regeneração urbana, extasiando quem visita a vila, deixando um rasto de pretensões em regressar, nem que seja no ano seguinte, para a realização da edição seguinte.

As quatro “agentes secretas”, que não deixam ninguém indiferente, são já uma marca de referência em Vouzela e na região de Lafões, vincando o selo de simpatia por onde passam de norte a sul do país durante a campanha promocional do Constálica Rallye Vouzela.

Sara Branco, Rita Figueiredo, Vanessa Jácome e Lisbeth Neto produzem e reproduzem a linguagem corporal com intensificada educação e sentido profissional, distribuindo sorrisos e afabilidade a quem conhecem e a totais desconhecidos. Como numa equipa que ganha não se mexe, esta, no entanto, deverá ganhar um reforço na próxima época. Como na temporada de 2018 o Constálica Rallye Vouzela vai para a quinta edição, faz todo o sentido que a “SAD” Promolafões encontre no mercado de Inverno mais uma “pérola” para que a formação deixe de ser denominada “agentes secretas” e passe a figurar como “cinco estrelas”, igualando o mesmo número de edições da prova.

Carlos Matos, o mais rápido na Super Especial

A Super Especial nocturna, disputada hoje nas principais artérias de Vouzela, na distância de 1,60 quilómetros, marcou o início do espectáculo do Constálica Rallye Vouzela. O piloto de S. Pedro do Sul, que faz equipa com Bino Santos, conduziu o Ford Fiesta R5 ao topo da classificação, gastando 1m20,1s para completar o traçado. Já o seu mais directo opositor, Vítor Pascoal, ao volante de um Porsche 997 GT3 e navegado por Pedro Alves, teve de se contentar com o segundo posto, a 4,7 segundos de diferença.

Depois de um período inactivo, foi possível ver em acção Alfredo Barros com uma condução condizente com os seus pergaminhos. Navegado por Paulo Silva, o piloto de Paredes guiou o Ford Fiesta R5 ao terceiro lugar, a 4,9 segundos do líder e a míseros 0,20 segundos de Vítor Pascoal.

Quem também esteve bom plano foi o aguedense Miguel Abrantes que, acompanhado por Marco Saraiva, cotou-se o quarto mais rápido, a 6,7 segundos de diferença para o primeiro líder da prova, cabendo à dupla Tiago Reis e João Aguiar, em Volkswagen Golf, a encerrar o “top five”, a 8,6 segundos de Carlos Matos, ao passo que Hugo Lopes, que faz equipa com Nuno Mota Ribeiro, fechou a sua participação na super-especial com o sexto tempo, a escassos 0.1 segundos do viseense e a 8,7 do sampedrense.

Ainda na casa dos 8 segundos de diferença encontra-se Jacinto Oliveira e Sérgio Aguiar, em sétimo lugar. Em Renault Megane, o piloto nortenho necessitou de 1m28,9s, para completar a super-especial, terminando a 8,8 segundos do líder. Por seu turno, Nelson Trindade e Raquel Graça, em Mitsubishi Lancer Evo IX, concluíram a prova no oitavo posto, , a 9 segundos de Carlos Matos, com Lucas Simões  e Simplício Gonçalves (Renault Megane RS) e Rui Ferreira e Luís Pinto (Seat Ibiza TDI), a 10,2 e 10,4 segundos do mais rápido, respectivamente.

Foram os primeiros sinais muitos positivos com os três primeiros separados por menos de cinco segundos, deixando tudo em aberto para as secções de amanhã a luta pelo lugar mais desejado, embora o Porsche 997 GT3 ganhe ligeiro ascendente, dadas as características do traçado, até porque Vítor Pascoal está mais sobrecarregado de provas, enquanto Carlos Matos tem estado parado e, tudo isso adicionado, o prato da balanço recai para o piloto nortenho de Baião.

Depois de servido hoje o aperitivo nocturno, com dupla passagem pelos 1,6 quilómetros das principais artérias da vila de Vouzela, a organização preparou para amanhã novos desafios para pilotos e máquinas. A especial Constálica/Senhora do Castelo, às 11h03, com os seus espectaculares 5,8 quilómetros de curva contra curva a suster a respiração, passa a ser o primeiro troço do segundo dia, a repetir com dose tripla às 14h18 e 16h33, seguindo-se Madremax/Penoita, a especial mais longa da prova do Gondomar Automóvel Sport, com os seus 8,75 quilómetros de extensão e dupla passagem às 11h19 e 14h34.

Jorge Carvalho ambiciona ampliar vantagem no “Regional” Centro

Jorge Carvalho, navegado por Filipe Oliveira, parte hoje na liderança do Constálica Rallye Vouzela, prova do Campeonato Regional de Rali do Centro – Jorge Amorim, em que espera ampliar a vantagem que dispõe. Com 113,98 pontos no bornal, o piloto de Vila Nova de Poiares assume total favoritismo para alcançar o triunfo, numa prova em que o segundo classificado, Gonçalo Figueira, primou pela ausência na competição do Gondomar Automóvel Sport.

«Amealhar o maior número de pontos é a nossa missão no Constálica Rallye Vouzela, com o objectivo de ampliar a vantagem que dispomos tendo em vista as contas do campeonato. Esperamos que tudo corra pelo melhor, de forma a poder continuar a trilhar pelo caminho do êxito», referiu Carlos Carvalho.

Na verdade, o piloto poiarense, que tripula um Mitsubishi Lancer EVO IV, comanda o Campeonato Regional de Ralis do Centro – Jorge Amorim e, com a ausência de Gonçalo Figueira, com 75,25 pontos no seu pecúlio, cabe à dupla AUTOLOOK, Bruno Santos e Fábio Reis, em Toyota Yaris, assumir algum protagonismo, dado que se encontra na terceira posição.

O piloto de Coimbra, que soma 55 pontos, terá de enfrentar um pelotão cheio de ambição, começando por Miguel Franco que, navegado por José Azevedo, não quererá ser visto pelo retrovisor. O aguedense apresenta-se em Vouzela com 42 pontos, ao passo que José Gomes, navegado por Pedro Vaz, em Citroën Saxo Kit Car, encontra-se na quinta posição, com 41,49 pontos. Dada a grande diferença existente entre as viaturas em presença, o viseense não quer desperdiçar um bom resultado que lhe poderá ajudar a cimentar as suas pretensões na escalada da tabela classificativa.

Pilotos destacam importância da Especial Drive

As equipas participantes no Constálica Rallye Vouzela foram obsequiadas com uma iniciativa que permitiu contribuir par o retorno dos cada vez mais escassos patrocinadores, permitindo avaliar, ao mesmo tempo, o completamento das máquinas. A esta iniciativa, a entidade organizadora denominou-a “Especial Drive”, que decorreu numa estrada fechada e, por isso, rotulada com a máxima segurança, um dos pontos fulcrais para o sucesso da prova.

Tratou-se de uma medida que possibilitou, também, que os patrocinadores pudessem sentir as emoções dos ralis pela parte de dentro, sentando-se no banco direito, ao lado dos pilotos.

Carlos Matos: “Padrão de qualidade para patrocinadores”

Carlos Matos aproveitou esta “dádiva” para fazer os primeiros quilómetros com o Ford Fiesta R5, alugado à espanhola RMC, referindo que «foi benéfico a todos os níveis, porque permite aos pilotos e equipas efectuar alguns ajustes com as viaturas, na máxima tranquilidade, sabendo de antemão que as estradas estão fechadas».

«Este foi mais um padrão de qualidade apresentado pela organização que, além de nos permitir somente focar na Especial Drive, evitando desembolsar face ao trabalho da GNR no fecho de um troço de estrada. É de louvar a organização por mais singular iniciativa, dando um grande passo em frente tendo em vista o aspecto da segurança, pelo que outras organizações e a Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting deveriam “perfilhar” o modelo implantado no Constálica Rallye Vouzela, adiantou o piloto do Team Carlos Matos, de S. Pedro do Sul. Carlos Matos acrescentou ainda que «os patrocinadores viram na Especial Drive mais uma importante fórmula para colher o tão ambicionado retorno».

Alfredo Barros: “Modelo aliciante para ter continuidade”

Também Alfredo Barros, em Ford Fiesta R5, fez questão de mencionar que «é de salutar a Especial Drive, consentindo ajustar os últimos pormenores, limando algumas arestas com a máxima firmeza dado que a estrada esteve fechada». «Outro factor relevante foi que a equipa não precisou de perder tempo a encerrar, a espaços, uma estrada para avaliar a viatura, como também serviu para “desenferrujar” já que não alinhava numa prova há muito tempo, pelo que os sinais foram muito positivos, sem dúvida um modelo que deverá ter continuidade e que outras organizações deveriam adoptar».

João Marcelino: “Especial Drive foi um tubo de ensaio”

Por seu turno, João Marcelino, que terá à sua disposição um Ford Fiesta R2, encontrou na Especial Drive «a forma perfeita para as equipas testarem num local fechado, sem preocupações de maior para os pilotos».

Apesar de muito jovem, o piloto do Team Carlos Matos não tem dúvidas de que a Especial Drive pode ser observada como um “tubo de ensaio”, em que «as equipas podem alinhar e aperfeiçoar o set-up das viaturas, além, naturalmente, de alargar com este “protótipo” de acções contribuir para alargar os horizontes de todos aqueles que, de uma forma ou de outra, apostam em nós para levar mais longe os seus produtos».

No fundo, ainda segundo João Marcelino, «a Especial Drive reveste-se de uma mais-valia, podendo ensaiar antes da competição, estabelecendo, em parte, aquilo que se pode perspectivar em prova, em que as expectativas, para alguns pilotos, são elevadas».

Miguel Abrantes: “evolução enorme em estrada fechada”

A Especial Drive revelou ser uma grande vantagem para dar a conhecer as incidências dos ralis, pela perta de dentro, aos nossos parceiros, além, naturalmente, de rodar na máxima segurança», foi desta forma que Miguel Abrantes comentou a inovação introduzida no Constálica Rallye Vouzela.

Segundo o piloto de Águeda, que estreia na prova do Gondomar Automóvel Sport um Skoda Fabia S2000, «procurei adaptar-me à viatura mas, muito especialmente, retomar algum ritmo de pilotagem dado que já estou arredado das competições há algum tempo».

«Para mim foi muito importante andar com o Skoda Fabia S2000 na Especial Drive que, ao nível de segurança, revelou ter sido a melhor opção, não só porque me permitiu fazer os primeiros quilómetros, como também me permitiu dar um salto enorme em termos de evolução que, sem ser neste moldes, era impossível, porque a estrada estava fechada e na máxima segurança», confidenciou Miguel Abrantes.

Vítor Pascoal: “Importante ter os nossos parceiros na Especial Drive”

«Foi, sem dúvida, uma excelente promoção para os patrocinadores. Tive a oportunidade de conduzir alguns parceiros que me confidenciaram que a Especial Drive é um bom começo para abordar qualquer rali. A Especial Drive acabou também por ser encarada como um ensaio, pois encetamos uns acertos, mas mais importante que tudo isso foi termos connosco alguns parceiros», disse, por sua vez Vítor Pascoal.

«A Especial Drive, que permite andar na máxima segurança em estrada fechada, consente também fornecer algumas dicas aos patrocinadores nas avaliações da viatura, para definir qual o caminho a seguir nos acertos. Obviamente que o nosso principal objectivo passa por lhes revelar que tudo está a funcionar na perfeição», comentou o piloto do Porsche 997 GT3.

Lista de inscritos mais aguardada do ano já saiu com 60 equipas

Lista de inscritos mais aguardada do ano já saiu com 60 equipas

O Constálica Rallye Vouzela continua a primar pela diferença. Apesar de alguns avanços e recuos, a lista oficial dos inscritos da prova organizada pelo Gondomar Automóvel Sport tem um total de 60 equipas, o que traduz bem do excelente trabalho desenvolvido pela Promolafões na divulgação e promoção da competição, viajando de norte a sul do país para o impulsionar.

A prova, pontuável para o Campeonato Regional de Ralis do Centro e Troféu CIN, reúne a nata de pilotos que habitualmente participam nesta competição, aos quais se juntam, entre muitos outros, Vítor Pascoal, Carlos Matos, Edgar Reis, Eduardo Veiga, Hugo Lopes e Miguel Abrantes.

A prova disputa-se sábado e domingo nas estradas de asfalto de Vouzela, onde são esperados milhares de pessoas para seguir as incidências de pilotos e máquinas, com particular presença do clã Santinho Mendes que tem por missão contribuir para a segurança da prova, utilizando para o efeito duas viaturas. Trata-se de avô, filhos e neto.

Antevê-se um fim-de-semana completamente diferente em termos motorizados em Vouzela, para dois dias com muitas emoções e viaturas para todos os gostos, numa vila que sabe receber bem.

Pedro Duarte aposta na diversão pura e dura no Constálica Rallye Vouzela

Piloto do Caramulo considera que a prova do Gondomar Automóvel Sport é extremamente bem organizada, circunscrita a um “desenho” laboratorial de excelência, esperando estar à altura do desafio no que concerne ao entretenimento no asfalto da região de Lafões

Aos comandos de um Toyota Starlet, o piloto do Caramulo, Pedro Duarte, navegado por Hugo Natal, aposta no “clássico” divertimento como eixo central no Constálica Rallye Vouzela, prova pontuável para o Campeonato Regional de Ralis do Centro e Troféu CIN.

«A minha missão no Constálica Rallye Vouzela passa, essencialmente, pela diversão, já que a parte meramente competitiva é definida como um acréscimo suplementar. Quem me conhece sabe, de antemão, que encaro cada rali como uma fórmula de total prazer, o que traduz na perfeição a forma como irei enfrentar o Constálica Rallye Vouzela», começou por afirmar Pedro Duarte.

Ainda segundo o piloto do Caramulo, a prova do Gondomar Automóvel Sport «é já uma referência organizativa no panorama da modalidade, quer na região de Lafões, como no país, pelo que a nossa incumbência passa por ajudar a engrandecer ainda mais o selo de qualidade».

Relativamente à Especial Drive, Pedro Duarte não tem dúvidas «de que se trata de uma medida que colhe a simpatia de todas as equipas, dado que potencia a vertente mediática, sobretudo aqueles que nos apoiam». «É, efectivamente, uma medida implementada pela organização que nos permite avaliar as afinações nas viaturas de competição, sem que para isso retire o brilho para o qual foi criado».

O piloto do Caramulo sustentou, em jeito de rodapé, que, «a julgar pelos atributos dos últimos anos, o Constálica Rally Vouzela 2017 vai ser, com toda a certeza, uma prova que ficará na memória dos participantes e do público em geral».

Mikas Craft Beer servida em Vouzela na companhia da música dos anos 80

Marca de cerveja produzida por métodos artesanais, não pasteurizada, nascida e criada em Vouzela, será distribuída com o símbolo do Constálica Rally Vouzela em garradas de 0,75 cl.

Depois da “Especial Drive”, na tarde de sexta-feira, dia 15 de Setembro, o Constálica Rallye Vouzela reserva a noite desse mesmo dia para “escorar” activas as novidades, desta vez para lançar a Mikas Craft Beer. Trata-se da marca de cerveja produzida por métodos artesanais, não pasteurizada, nascida e criada em Vouzela e que será distribuída com o símbolo do rali em garradas de 0,75 cl.

A iniciativa terá lugar na Alameda D. Duarte de Almeida, junto à Câmara Municipal de Vouzela, e nada melhor que saborear a Mikas Craft Beer na companhia da melhor música produzida nos anos 80.

Cumprir-se-á assim mais uma dose de inovação por parte da Promolafões, entidade promotora do Constálica Rallye Vouzela, prova organizada pelo Gondomar Automóvel Sport que vai para a estada a 16 e 17 de Setembro, a desenvolver nas estradas asfaltadas da região e pontuável para o Campeonato Regional de Ralis Centro – Jorge Amorim e Troféu CIN.