CCR – Vouzela: Rui Madeira presente

Depois de ver o ambicioso calendário internacional que tinha preparado para 2020, ficar fora de hipótese, devido ao surto pandémico, Rui Madeira vai finalmente “a jogo”, no ano em que comemora 30 anos de carreira. Serão 4 os ralis que contarão com a presença do consagrado piloto arquiteto e todos em território nacional.

São três décadas de carreira para o arquiteto de Almada que, em Depois de uma longa espera, chegou a hora de ouvir rugir o motor do Mitsubishi Lancer, saído então das oficinas da Ralliart, com que Rui Madeira e Nuno Rodrigues da Silva vão novamente competir, comemorando os 30 anos de carreira do piloto que 1995, deu a Portugal o título da Taça FIA de Grupo N, dando então a Portugal o primeiro grande triunfo no Mundial de Ralis.

De fora ficam as provas inicialmente previstas, com a exceção do Spirit, pois, como lamenta Rui Madeira, foram “todas anuladas devido ao COVID-19, gorando assim os nossos planos internacionais. É uma situação totalmente compreensível, devido a este momento grave e único que atravessamos e devemos é realçar a coragem dos organizadores, principalmente os nacionais, que estão a conseguir montar provas e, pelo que vem sucedendo, com todas as garantias de segurança e com sucesso competitivo. Estão de parabéns”.

E será em terras beirãs que a dupla “mundialista” voltará a estar no habitáculo do seu Lancer. O Constálica Rali de Vouzela terá honras de abertura das “hostilidades” por parte da dupla. A prova organizada pelo GAS e que vai para a estrada nos dias 26 e 27 de setembro, será em asfalto e, em jeito de antecipação, Rui Madeira garante que “estaremos lá para não só andar rápido, mas para dar espetáculo e assim honrar os pergaminhos dos nossos patrocinadores e da nossa carreira. Estamos muito contentes por finalmente poder competir e Vouzela tem tudo para nos agradar, pois, pelo que sabemos, tens excelentes especiais e é um rali que, ano após ano, tem vindo a ganhar prestígio”. Seguir-se-ão os ralis Spirit, Luso e Camélias, num calendário que “dentro dos condicionalismos, se revela bem aliciante para nós e para quem nos apoia”.

/// Época internacional poderá acontecer em 2021 ///

Frustrados os planos iniciais para o ano corrente, Rui Madeira não esconde que “gostaria de fazer transitar para 2021, o ambicioso projeto que tínhamos garantido para este ano. Vamos falar com os nossos patrocinadores e logo veremos se receberemos luz verde para concretizar as presenças em ralis internacionais de grande prestígio, dentro dos que se inserem no espírito Legends”, não rejeitando a hipótese de alinhar “no Rali Fafe Montelongo, se este conseguir entrar, no próximo ano, para o Europeu de Históricos. Gostaríamos muito de lá ir competir com o Lancer, medindo, uma vez mais, forças com os melhores da Europa”.

A.I.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *